Explorar. Inspirar
Artigo 11 Mai 2021

Como prevenir riscos de reputação com cenários virtuais e automatização

 

Neste segundo capítulo da série «Resiliência» abordamos o desafio que representa tentar gerir ou controlar o impacto dos riscos reputacionais na continuidade e na sustentabilidade dos negócios.

No primeiro artigo abordámos a prevenção destes riscos por meio da antecipação com base na inteligência humana e artificial; neste artigo, lançamos o desafio de estar preparado para dar resposta a estes eventos incertos por meio do planeamento de cenários e da programação de contingências, com o suporte da tecnologia.

A dúvida é a qualidade essencial de qualquer risco e quando falamos dos reputacionais, podemos acrescentar ainda a complexidade destes, pelo que, além de aplicarmos as técnicas convencionais da gestão de riscos (risk management), aplicamos duas disciplinas do pensamento estratégico – a «construção de cenários futuros» (design futures) e a «resolução de problemas» (problem solving) – cujas abordagens nos permitirão ir além das respostas defensivas, de curto prazo e de interesse financeiro.

No mundo em que vivemos, pensar nos riscos apenas do ponto de vista das ameaças não nos ajuda a construir organizações mais resilientes, mas apenas a debilitar a nossa capacidade de adaptação e recuperação face às mudanças disruptivas.

É necessário abrir os horizontes, assumir incertezas e pensar de forma diferente, para não nos torturarmos naquele ambiente denominado pelo antropólogo Jamais Cascio com o acrónimo em inglês BANI (Brittle, Anxious, Non-linear, Incomprehensible). Tal como relembram Cleber Martins e Adélia Chagas, um contexto de fragilidade, ansiedade, não linear e, até, incompreensível, onde «todos os caminhos estão abertos a oportunidades».

DESCARREGAR
Iván Pino
Sócio e Diretor Sénior de Crises e Riscos
Jornalista, licenciado em Ciências da Informação pela Universidade Complutense de Madrid. Tem um mestrado em Sustentabilidade e Responsabilidade Corporativa pela UNED-UJI, com 20 anos de experiência em Comunicação e Reputação Corporativa. Especializado em Comunicação Digital. É coautor do livro Claves del nuevo Marketing. Cómo sacarle partido a la Web 2.0 (2009, Gestión 2000), e editor do primeiro e-book em espanhol sobre comunicação corporativa nos meios sociais: Tu Plan de Comunicación en Internet. Paso a Paso (2008). Além disso, é conferencista e professor do Programa Executivo de Customer Experience Management na IE Business School, de Comunicação Corporativa e Institucional na Universidade Carlos III, e do Mestrado em Comunicação Corporativa e Publicitária da Universidade Complutense de Madrid.
Ibo Sanz
Global Senior Director de estratégia deep digital business
Ibo é Bachelor of Business Administration pela Rotterdam Business School, tem uma certificação pela Universidade de Helsínquia em AI Elements, e conta com uma longa carreira em desenvolvimento de negócios no setor das Telecomunicações de grandes multinacionais. Durante os seus 8 anos na Telefónica, impulsionou a proposta de conteúdos do grupo e participou no processo de mudança do modelo de negócio de voz para dados. Nos 11 anos em que esteve na Vodafone, liderou a integração de soluções e plataformas tecnológicas nos serviços de m-commerce dirigidos à sua base de clientes. Destacamos também a sua passagem pela consultora Gartner, onde trabalhou na análise do impacto da inovação tecnológica na demonstração de resultados de muitas empresas

Queremos colaborar consigo

Procura resolver um desafio?

Quer fazer parte da nossa equipa?

Quer que participemos no seu próximo evento?